Siga a Corpore
A Corpore LinksContato
 

Nike 10K - Veja como foi

06/11/2005, por Marcel Trinta

Dados do evento
Galeria de fotos

A cada minuto que se passava após às 6h da manhã do dia 6 de novembro, as ruas ao redor do Jockey Club de São Paulo iam ficando cada vez mais laranjas. Essa é uma frase um pouco estranha, mas quem esteve por lá vai entender, pois a cada instante chegavam mais participantes da Nike 10K trajando a camiseta do evento fazendo com que um exército alaranjado tomasse conta das ruas.

O evento, que se propunha a colocar 80mil pessoas para correr em 7 cidades da América Latina, cumpriu sua previsão no Brasil: a 13 dias da prova, as 20mil inscrições já haviam se esgotado, tornando essa a maior prova de 10km do país.

Às 8h da manhã, os atletas já estavam nos seus respectivos setores e quando a buzina soou todos partiram para completar a prova. Um clima festivo já pairava no ar e apesar da temperatura amena e percurso ótimo para buscar um bom tempo, ninguém forçou o ritmo e o trajeto era feito de forma descontraída com as pessoas conversando e aproveitando cada instante. A festa foi “temperada” com duas bandas de percussão localizadas no percurso.

Após 00:31:33 de prova, o primeiro atleta cruzou a linha de chegada. Antonio José Nunes Junior chegou em primeiro lembrando que a prova era festiva e que sua colocação não importava: “Eu não ia fazer um ritmo de competição e saí no ritmo de um ‘longão’, mas chegando no km 3 eu estava bem pertinho dos meninos que estavam na frente e resolvi apertar. Deu no que deu. Mas é uma festa, isso aqui é maravilhoso. Chegar em primeiro, segundo ou em último é a mesma coisa.”

Uma das primeiras mulheres a cruzar o pórtico de chegada foi Fernanda Keller, que estava muito empolgada com a festa e com o grande número de participantes. “Foi uma grande festa, muito bonito, todo mundo teve a oportunidade de correr, de ouvir música, foi muito bom. Antigamente o futebol lotava estádios e hoje os estádios já não estão tão cheios e todo mundo resolveu correr. No futebol o pessoal fica assistindo, sentado na arquibancada e aqui não, todo mundo sua a camisa”, afirmou a triatleta.

Fernanda não era a única atleta de ponta na prova. Joaquim Cruz esteve lá, assim como Wanderley Cordeiro de Lima, que afirmou que “hoje São Paulo se vestiu de atletismo”.

O público participante era muito heterogêneo e entre eles estavam desde pessoas que participavam de sua primeira prova até aqueles que já anotam no seu calendário o domingo que terão um encontro com outros milhares de pessoas logo cedo. Independentemente do grupo, os participantes entenderam o espírito do evento e queriam curtir.

Para quem estava se iniciando nas corridas de rua, o evento foi acima das expectativas. Japinha, baterista da banda CPM 22, corre por lazer e já havia participado de uma São Silvestre, mas não acreditou quando soube que na sua segunda prova teria a companhia de mais 19.999 atletas. “Fiquei preocupado tentando saber onde caberiam 20mil pessoas. No final foi tudo bem legal, foi tudo numa boa. A vibe é muito forte e fiquei bem contente de correr”.

Thais Tortero descansava ao final da prova e também falou sobre a sua impressão do evento: “Essa é a minha primeira prova. Sempre corri, mas nunca participei de um evento desses. Está o máximo isso. Vou descansar um pouco para curtir os shows”.

Diferente dela, Fabio Monteiro já corre há anos e, após completar o percurso, descansava ouvindo o som do DJ Patife que recepcionava os atletas dentro da arena do Jockey. “Sempre participo de provas e achei essa idéia bem legal. Traz um entrosamento entre a galera, uma confraternização”, contou Fabio.

Falando em DJ Patife, ele ficou muito empolgado com o que viu durante a sua apresentação e no tempo que ficou por lá: “É a primeira vez que participo de um evento assim e é um negócio completamente inusitado. Domingo, às 8h da manhã estar atrás dos toca-discos é uma coisa bem única. Jamais imaginava uma coisa dessas. Vinte mil pessoas correndo, estou bem surpreso e curti muito”.

Após serem recepcionados pelo som do DJ Patife, foi hora do pessoal que se concentrava na arena do Jockey curtir o som de Sideral e Banda que se apresentaram e animaram muito a galera que os aguardava em frente ao grande palco que foi montado.

Com muito soul, funk e tocando músicas de Tim Maia, Jorge Ben e outros grandes artistas, Sideral recebeu no palco Toni Garrido, Junior Lima, Fernanda Abreu, Cláudio Zoli e Simoninha. Após quase duas horas de show, todos os convidados subiram juntos ao palco para tocar as últimas duas músicas e fazer a galera pular, cantar, dançar e gastar aquelas últimas energias guardadas durante o percurso.

Já no fim do show, João Gordo apareceu na arena após ter conseguido completar o percurso, como prometera. “Achei bem legal. Para quem é louco que nem eu é uma experiência interessante: vinte mil 'caretas' correndo domingo de manhã”.

Com a missão cumprida, ao final do evento Fernando Neder, gerente de Marketing Esportivo da Nike, falou sobre o dia e prometeu mais: “A organização foi perfeita, o público entendeu que era uma corrida festiva. Vinte mil pessoas vieram aqui pra correr, se divertir, praticar esportes e está todo mundo de parabéns: a Corpore, os parceiros que nos ajudaram e principalmente os corredores que vieram para cá. Ano que vem estamos aí de novo e o pessoal que se prepare”.

Em breve: galeria de fotos e muito mais!



 
Últimas notícias
Maratona de Nagoya
Centro Histórico 2019
Meia Maratona 2019
Análise genética potencializa resultados de dietas e ati ...
Livro do Murakami
Treinamento Mental
Certificado AIMS Meia Maratona
Pesquisa dor nos ombros
Sedentarismo no Brasil
Global Running Day
Meia Maratona 2018
 
Por: Marcel Trinta

2002-2023 Corpore. Todos os direitos reservados. Política de privacidade
Orgulhosamente desenvolvido pela FTECH