Siga a Corpore
A Corpore LinksContato
 

Desafio Castelhanos - Cuidando de cada passo

17/07/2007, por Corpore

Veja como foi a prova

1- ORIENTAÇÕES MÉDICAS NO CONGRESSO TÉCNICO
2- LOGÍSTICA DO ATENDIMENTO MÉDICO
3- AGRADECIMENTO À COMUNIDADE DE CASTELHANOS

ORIENTAÇÕES MÉDICAS NO CONGRESSO TÉCNICO

Desafio Castelhanos foi um desafio não só para os corredores, mas também para todo o staff da Corpore, a característica desta prova fez com que iniciássemos uma nova abordagem médica quanto aos corredores.
Sabendo por experiências anteriores como corredores de endurance e aprendendo em New York e África do Sul o tipo de ocorrências médicas mais comuns, realizamos um trabalho de orientação médica no Congresso Técnico, pois corredor esclarecido minimiza prováveis lesões.
Segue no link a aula de orientação na íntegra.
“Castelhanos – Orientações Médicas”

LOGÍSTICA DO ATENDIMENTO MÉDICO

Nossas maiores dificuldades seriam:

1-Impossibilidade de comunicação devido a topografia acidentada e da vegetação densa.
2-Percurso de difícil locomoção para as unidades UTIs.]

Topografia acidentada e da vegetação densa Impossibilidade de locomoção para as unidades UTIs.

Para que pudéssemos cobrir todo o percurso da corrida, o staff médico configurou-se da seguinte forma:

a-Sete médicos
b-Cinco enfermeiros
c-Sete pronto-socorristas
d-Seis motociclistas
e- Duas UTIs Tradicionais
f- Duas Land Rovers tranformadas em UTIs
g- Duas Tenda Médicas (chegada e retorno)
h- Três jipes – Care4You Lookouts
i- Dezessete rádios comunicadores.
  Logítica das unidades médicas no percurso da prova
Tenda Médica e Jipe-Lookout em Castelhanos Equipe de Médicos e pronto-socorristas Care4You no jipe de Castelhanos.


AGRADECIMENTO À COMUNIDADE DE CASTELHANOS


Na véspera ao conhecer a Comunidade de Castelhanos, Dr. David apresentou-me os líderes da comunidade, sr. Marcos e sra. Angélica, pediu uma especial atenção a um pescador que iria realizar a prova de 44 km o “Nikinha”.

Notei a preocupação do David pelo fato do nosso pescador ter feito este percurso várias vezes, porém caminhando. Voltamos com ele para a cidade, durante o caminho procurei realizar um questionário médico, contudo éramos entrecortados pelos “trancos e barrancos” do jipe na trilha.

Demos uma camiseta e boné Corpore para que ficasse de fácil identificação durante a prova, orientei-o para que não titubiasse em procurar ajuda nos postos médicos do percurso.

No dia seguinte, nosso pescador saiu-se muito bem no trajeto da ida, porém faltando 18 km, cãimbras e hipoglicemia fizeram com que ele parasse no posto Jipe-Lookout; uma das motos da equipe do Ivan procurou-me na UTI 4-Land, e lá fui na garopa da moto, 3 km trilha abaixo (angustiante).

Encontrei nosso pescador Nikinha parado, questionei quanto ao estado de saúde, no que ele respondeu:

-Quando a cãimbra pega, não dá mais!

Após checar o estado geral, ensinei-o a alongar o músculo vasto medial e propús que continuásse a prova caminhando, porém não me parecia muito disposto, o que é comum acontecer nos corredores entre o km 25 e 30.

Lembrei então, que ele havia assumido o compromisso, com as crianças da Comunidade de Castelhanos, de findar a prova.

Pensou e começou a caminhar.

Entre paradas para alongamento, maltodextrina, histórias minhas de cãimbras em corridas de 90 km na África do Sul e histórias dele de pescarias de tainhas e lulas, fomos alternando a biomecânica das passadas nas subidas e descidas, e trabalhando o compasso da ventilação.

Faltando 2 km, ele disse que a cãimbra voltara a aparecer, então respondi:
- E você não acha que eu estou aqui com as minhas? Semana que vem a dor já passou, porém o orgulho do desafio conquistado será para sempre na sua comunidade...

Com 500 metros para a linha de chegada David e Armando estavam esperando para acompanhar-nos, então disse:

- Estou vendo o presidente e o diretor da Corpore esperando para trotar conosco, esquece as cãimbras, agora é hora de cruzar a linha de chegada correndo!

Então entre sons do “Hino da Vitória do Airton Senna” e “Rocky – o Lutador”, nosso pescador Nikinha foi abrindo as passadas e cruzou a linha final do “Desafio Castelhanos -44 KM”

Fica aqui meu agradecimento ao Marcos e Angélica pelo apoio dado à equipe Médica em Castelhanos e pricipalmente ao pescador Niquinha por ter acreditado que a Equipe Médica daria todo o suporte para poder findar este DESAFIO CASTELHANOS

Dr. Milton Mizumoto
Diretor Médico da Corpore




 
Últimas notícias
Livro do Murakami
Treinamento Mental
Certificado AIMS Meia Maratona
Pesquisa dor nos ombros
Sedentarismo no Brasil
Global Running Day
Meia Maratona 2018
Centro Histórico 2018
Calendario de Eventos AIMS
Calendário AIMS
Curso Nacional de Nutrologia
 
Por: Corpore

2002-2018 Corpore. Todos os direitos reservados. Política de privacidade
Orgulhosamente desenvolvido pela FTECH