Siga a Corpore
A CorporeAssocie-seBenefíciosConvêniosLinksContatoAjuda
 

LIVRO Comer, Treinar, Dormir

03/08/2012, por Paula Diniz
"Comer, Treinar, Dormir – Como superar as doenças da vida moderna"
 
Livro aborda a importância dos exercícios na prevenção e no tratamento de doenças, e dedica seu último capítulo às corridas de rua, “um universo encantador e enigmático”



De Samira Layaun (Ed. Prumo; 224 páginas; R$ 29,90)
 
Samira Layaun é médica e corredora associada à Corpore. Aliando seu conhecimento médico ao entusiasmo pela corrida e pelo bem viver, ela realizou um extenso trabalho de pesquisa para escrever “Comer, Treinar, Dormir”, editado pela Ed. Prumo e com prefácio do médico Joaquim Grava, especialista em medicina esportiva. Foram cinco anos de estudo para comprovar que muitos dos males mais comuns dos dias atuais, podem ser superados com medidas simples e econômicas.

De acordo com a revista Veja, "tata-se de um manual sobre a manutenção da saúde, ideal para guiar o leigo em meio à variedade de recomendações que cercam hoje o bem-estar pessoal." São 21 capítulos breves que vão direto ao ponto, tratando de distúrbios como depressão, diabetes, obesidade, câncer, pressão alta, dores nas costas e suas formas de prevenção e tratamento. Temas como colesterol, açúcar, álcool, sono e a influência da genética na predisposição a doenças (menor do que ela mesma imaginava antes de iniciar sua longa pesquisa), também estão presentes na obra.

Baseada em literatura científica, Samira apresenta dados persuasivos para ajudar o leitor a compreender que o corpo humano não foi feito para ficar doente, incentivá-lo a se exercitar mais, enfim, conduzi-lo a mudanças de atitude. Para enfatizar a necessidade de cortar o açúcar, por exemplo, ela lista mais de oitenta problemas – de acne a alguns tipos de câncer – que seu consumo abusivo pode ocasionar. Também ilustra suas recomendações citando famosos que cuidam da forma física. Após observar que o uso frequente de salto alto pode trazer uma série de problemas para a coluna, Samira lembra que a cantora Carla Bruni, ex-primeira-dama da França, sempre se mostrou elegante com sapatos baixos. Ela ainda menciona outros exemplos de famosos que superaram doenças como câncer (Lance Armstrong), obesidade (Lucília Diniz), estresse (Paul McCartney), depressão (JK Rowling), fumo (Dráuzio Varella), drogas (corredora Ana Luíza – “Animal”), etc.

“Nosso organismo possui importantes mecanismos de defesa naturais contra agressões diversas. Só precisamos dar a ele as condições ideais para manter esses mecanismos íntegros”. “É possível, sim, superar doenças como obesidade, hipertensão e diabetes, às vezes, até sem medicação, como atestam alguns estudos científicos”, diz a autora.

“Comer, Treinar, Dormir” é um guia para quem busca uma vida plena e livre das preocupações que mais atormentam a sociedade moderna. Talvez uma das maiores contribuições deste livro para nós, leigos, que não trajamos o jaleco branco, seja nos restituir a consciência (ainda meio enevoada) do poder que temos em relação ao CORPO através do qual experimentamos a vida. Donos da própria saúde, podemos também nos reapropriar da responsabilidade pela qualidade da vida que temos e teremos. A própria genética - há anos culpada por tantas doenças "inevitáveis" em seu nome - já se sabe, não é tão determinante assim (sim, a ciência já provou). Cabe a cada um fazer suas escolhas e sofrer (ou desfrutar!) as consequências. Informação nesse livro é o que não falta!

 
Sobre a autora
 
Samira Layaun nasceu na cidade de São Paulo e formou-se médica pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da Universidade de São Paulo (USP).

Desenvolveu atividades nas áreas de Epidemiologia, Saúde do Trabalhador, População e Saúde, Psiquiatria e participou do subprograma de controle da Hipertensão Arterial e Diabetes do Centro de Saúde-Escola da FMRP-USP.

Obteve os títulos de Sanitarista e Oftalmologista por sua atuação como médica residente junto aos departamentos de Medicina Social e Preventiva do Hospital das Clínicas da FMRP-USP e Oftalmologia, Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMRP-USP. 

Atualmente, atende em consultório próprio e apresenta palestras sobre a importância da alimentação, do sono, das emoções e dos exercícios na prevenção e tratamento de doenças.













 
 
Entrevista com Samira Layaun
 
1) Dra. Samira, o que levou uma médica oftalmologista e sanitarista a escrever um livro sobre alimentação, sono e exercícios?
 
Basicamente porque queria passar a minha sensação de bem-estar vinda do esporte para outras pessoas; mas acabei desistindo do projeto por julgá-lo inviável. Um dia, porém, em uma conversa com o meu preceptor de residência médica (Dr. Sidney Júlio de Faria e Souza, que também é corredor), a ideia foi retomada. Ele julgou o projeto viável, e sugeriu que eu desse início a uma série de pesquisas sobre o assunto. Foi assim que surgiu a ideia do livro.
 
2) Qual a maior novidade que o livro traz?

Depende. Para os médicos, provavelmente nenhuma. Já, para os leigos, há alguns assuntos que estão despertando atenção especial. Entre eles estão: o peso da genética e do estilo de vida na manifestação das doenças, os efeitos do consumo abusivo de açúcar, da privação de sono crônica, das emoções e dos exercícios na manifestação ou não das doenças.
 
3) Quais as características da vida moderna que mais prejudicam a saúde?

Sedentarismo, alimentação e hidratação incorretas, sono irregular, consumo abusivo de álcool e/ou cigarro e/ou drogas, emoções negativas, padrão mental e/ou comportamental desfavorável – exemplos: medo, individualismo, isolamento, competitividade exagerada, falta de solidariedade, falta de comprometimento e de vínculos sólidos.
 
4) Pensando no Brasil... Quais os erros mais graves que os brasileiros (homens e mulheres) cometem com a própria saúde em relação a alimentação, atividade física e sono? E o que devem fazer (com urgência) para corrigir esses erros?

Os brasileiros consomem muito açúcar e outros produtos refinados (farinha branca, sal). Também consomem muito arroz branco, carnes gordas, frituras e poucos legumes, verduras e frutas. Costumam ingerir líquidos juntamente com alimentos sólidos (e o que é pior: na maioria das vezes, esses líquidos são refrigerantes). Comem muito rápido. Esses são os erros alimentares básicos no Brasil.

Quanto à atividade física, pode-se dizer que muitos brasileiros são sedentários absolutos, ou seja, não se movimentam para nada. Se têm de ir à uma banca de jornal próxima, o fazem de carro. Usam o elevador para subir um único andar. Adotam como diversão, jogos eletrônicos, TV, ou seja, atividades estáticas. Quanto ao sono, dormem mal ou dormem pouco.

Para corrigi-los é necessária a adoção de hábitos alimentares saudáveis como: consumir alimentos em sua forma integral (pão, arroz, massas); consumir mais frutas, verduras, legumes, cereais. Consumir leite e seus derivados na forma desnatada. Reduzir o consumo de açúcar, sal, farinha branca, carnes gordas, frituras, embutidos e derivados lácteos integrais. Evitar ingerir líquido juntamente com alimentos sólidos.

Fazer atividade física (prazerosa) pelo menos três vezes/semana por, pelo menos, 30 minutos. Dormir mais de 8 horas/noite.
 
5) Após esses cinco anos de pesquisa, que receita (ou quais conselhos) você pode dar – de forma breve – para quem busca uma vida com qualidade e plenitude? Que tipos de alimentos, comportamentos, emoções e pensamentos devemos escolher para nossa vida? E que tipo devemos evitar a todo custo?

Bem, com relação à alimentação, essa questão já foi respondida no item anterior. Além da alimentação, devemos considerar que os padrões mental e comportamental, também podem interferir na saúde. Otimismo, bom humor, pensamentos e emoções positivas, são poderosos aliados da nossa saúde. Atitudes positivas como gentileza, solidariedade, doação, gratidão, também contribuem para uma vida mais longa e saudável.

Devem ser evitados pensamentos negativos, medo, pessimismo, atitudes egoístas, soberba, emoções reprimidas. Evitar a exposição ao noticiário de violências e tragédias que assolam a nossa mídia, também colaboram para a longevidade.
 
6) Você é corredora há quantos anos? Respondendo como médica e corredora, quais os maiores benefícios da corrida de rua para o corpo, para a mente e para as emoções? 

Comecei a correr quando entrei na faculdade. Na época, éramos obrigados a escolher uma das seguintes modalidades: basquete, handebol, voleibol e condicionamento físico e praticá-la por dois anos. Optei pelo condicionamento físico. Corri durante o período obrigatório e por mais alguns anos. Mas, medicina, é um curso que impõe uma sobrecarga extrema aos seus alunos; são aulas teóricas e práticas, ambulatório, enfermaria, centro cirúrgico, plantões, enfim, inúmeras atividades que exigem estudo e dedicação integral. Dessa forma, no final do curso e durante as residências médicas, permaneci só caminhando. Ao término das residências, voltei a correr e não parei mais. Porém, precisei diminuir a frequência e o tempo dedicado aos treinos, para conseguir concretizar o projeto do livro. Ao todo, corro há, aproximadamente, 15 anos.

Os maiores benefícios de correr corretamente (dentro dos limites ideais de frequência cardíaca) são: perda de peso, fortalecimento cardíaco, diminuição da pressão arterial, melhora do calibre dos vasos sanguíneos, melhora da circulação sanguínea, liberação de serotonina, dopamina, endorfinas (substâncias que proporcionam sensação de bem estar, prazer e modulam a dor). Melhora a oxigenação cerebral, ativa a mente, estabelece mais conexões entre os neurônios, aprimora a memória, o raciocínio (entre outras habilidades mentais), diminui o risco para doenças degenerativas (como o mal de Alzheimer, por exemplo) e melhora o padrão imunológico.
Alivia o stress, a ansiedade, a angústia e favorece a manifestação de boas emoções como alegria e felicidade. Correr também ajuda a combater a depressão.
 
7) Quais doenças a corrida pode ajudar a prevenir e curar (ou amenizar)?

Correr corretamente (dentro dos limites ideias de FC) ajuda a prevenir ou tratar quase todas as doenças, pois fortalece o sistema cardiovascular, melhora o padrão mental e imunológico. Porém, correr acima do limite ideal de frequência cardíaca, pode causar sérios danos à saúde; problemas como câncer, infecções e doenças degenerativas, podem decorrer da prática incorreta de corridas. Este é um alerta que não deve ser ignorado.

8) Durante sua extensa pesquisa para a produção desse livro, alguma descoberta ou alguma informação te surpreendeu (por ser uma grande novidade ou algo que não podia imaginar)? Qual?

Foi durante as minhas pesquisas que descobri que o estilo de vida é o principal responsável pela determinação das doenças (acima de 75%), ao passo que os fatores genéticos têm uma participação bem menos expressiva nessa determinação. Portanto, o controle sobre a sua saúde depende muito mais das suas escolhas do que dos fatores genéticos. Eu sabia que o estilo de vida era importante nessa questão, mas não tinha ideia da magnitude dessa proporção.

=> "Comer, Treinar, Dormir" já está à venda nas principais livrarias do país.

 



 
Últimas notícias
2016-Disney Magic Run - Veja como foi
2016-Meia Maratona SBCampo - Resultados
2016-Meia Maratona SBCampo - Inscritos
Ida Keeling - 101 anos - 100 m rasos
Meia Maratona SBCampo
Associado Corpore conduzirá Tocha Olímpica
2016-Centro Histórico
2016-Disney Magic Run
2016-Centro Histórico
Curso de Prevenção de Lesões na Corrida
2016-Bombeiros
 
Por: Paula Diniz

2002-2016 Corpore. Todos os direitos reservados. Política de privacidade
Orgulhosamente desenvolvido pela FTECH