Acompanhe a prova

Ultramaratona do JB
29/11 às 17h11

Na edição de hoje do Jornal do Brasil tivemos um destaque para a prova. Confira a matéria completa:

Desafio de correr um dia inteiro aos 64 anos

Lucinda Ratinho é a mais velha na Ultramaratona Rio 24h

Tiago Leite

A superação mostra-se inerente à natureza do ser humano. A paulista Lucina Ratinho é mais um exemplo que não há idade ou tamanho para transpor obstáculos. Com 1,46m de altura e 64 anos, Lucinda é a atleta mais velha a participar da Ultramaratona Rio 24h, evento inédito na cidade que será disputado hoje, na Pista de Atletismo da Escola Naval.

A prova é uma modalidade de corrida que mistura resistência e preparo físico, devido à sua extensão de 24 horas. A largada será às 10h e o término às 10h de amanhã. Cerca de 50 atletas estarão presentes e vencerá aquele que percorrer a maior quilometragem durante o período.

Outros dois corredores acima de 60 anos participarão da prova. São eles João Sacks Prestes, de 60, e Maria das Graças Bernardino, de 61. Com entusiasmo juvenil, Lucinda garante que permanecerá na pista durante as 24 horas determinadas. Ela costuma correr meia-maratonas e maratonas, mas será a primeira vez que participará oficialmente da ultra.

– Quanto maior o desafio melhor. Eu vou terminar a prova seja correndo, andando ou me arrastando – diverte-se, contando seus objetivos – Quero percorrer 100 quilômetros.

Muito além das metas esportivas, Lucinda busca a diversão em um esporte que aprendeu a amar, e acabou se tornando um exemplo para quem pensa ser tarde para começar. Ela começou a correr há apenas sete anos, com seu treinador Wanderlei Severino.

– Tinha 57 anos e nunca havia feito exercício físico. Eu passava mal só em correr 100 metros. Hoje treino de segunda a sábado – conta, revelando o motivo que a levou à corrida – Vi uma foto minha no Natal, quando pesava 70kg, e percebi que eu precisava me cuidar. Hoje eu peso 52kg.

Engana-se quem acha que, pela idade, os treinos se tornaram sua única atividade. Casada há 44 anos, com três filhos e cinco netos, Lucinda é florista e trabalha diariamente na sua barraca das 7h às 19h.

A prova de que o prazer do esporte é único objetivo da vovó-atleta é que os custos de viagens e inscrições saem do próprio bolso.

– Certa vez me ofereceram patrocínio e não aceitei por causa da cobrança. Quero correr no meu tempo, não me importo com quilometragem – disse.

Muita resistência e preparo

Diversão à parte, a Ultramaratona do Rio contará com atletas profissionais. O percurso será na pista de atletismo de 400 metros e cada corredor terá um chip no tênis que marcará a distância percorrida durante as 24 horas. Durante esse período serão servidas três refeições para os atletas, além de frutas e líquidos. A cada duas horas será invertido o sentido da corrida.

– Como o circuito é oval, a tendência é forçar mais a perna voltada para fora da pista. O sentido será invertido para evitar uma lesão como tendinite – explica Milton Mizumoto, diretor médico da Corpore, organizadora do evento.

Mizumoto também participará da prova e revela o segredo para a preparação.

– O ideal é se preparar de dois a três anos para esta prova. Os atletas de elite correm um em média uma maratona por dia.

Um desses atletas é Luciano Paiva Santos, vice-recordista mundial na prova de 24 horas na esteira, com 249km (o recorde é 257km) e recordista sul-americano na prova de 48 horas, na pista, com 365km percorridos.


Voltar