Siga a Corpore
A Corpore LinksContato
 

Desafio Castelhanos - Cuidando de cada passo

17/07/2007, por Corpore

Veja como foi a prova

1- ORIENTAÇÕES MÉDICAS NO CONGRESSO TÉCNICO
2- LOGÍSTICA DO ATENDIMENTO MÉDICO
3- AGRADECIMENTO À COMUNIDADE DE CASTELHANOS

ORIENTAÇÕES MÉDICAS NO CONGRESSO TÉCNICO

Desafio Castelhanos foi um desafio não só para os corredores, mas também para todo o staff da Corpore, a característica desta prova fez com que iniciássemos uma nova abordagem médica quanto aos corredores.
Sabendo por experiências anteriores como corredores de endurance e aprendendo em New York e África do Sul o tipo de ocorrências médicas mais comuns, realizamos um trabalho de orientação médica no Congresso Técnico, pois corredor esclarecido minimiza prováveis lesões.
Segue no link a aula de orientação na íntegra.
“Castelhanos – Orientações Médicas”

LOGÍSTICA DO ATENDIMENTO MÉDICO

Nossas maiores dificuldades seriam:

1-Impossibilidade de comunicação devido a topografia acidentada e da vegetação densa.
2-Percurso de difícil locomoção para as unidades UTIs.]

Topografia acidentada e da vegetação densa Impossibilidade de locomoção para as unidades UTIs.

Para que pudéssemos cobrir todo o percurso da corrida, o staff médico configurou-se da seguinte forma:

a-Sete médicos
b-Cinco enfermeiros
c-Sete pronto-socorristas
d-Seis motociclistas
e- Duas UTIs Tradicionais
f- Duas Land Rovers tranformadas em UTIs
g- Duas Tenda Médicas (chegada e retorno)
h- Três jipes – Care4You Lookouts
i- Dezessete rádios comunicadores.
  Logítica das unidades médicas no percurso da prova
Tenda Médica e Jipe-Lookout em Castelhanos Equipe de Médicos e pronto-socorristas Care4You no jipe de Castelhanos.


AGRADECIMENTO À COMUNIDADE DE CASTELHANOS


Na véspera ao conhecer a Comunidade de Castelhanos, Dr. David apresentou-me os líderes da comunidade, sr. Marcos e sra. Angélica, pediu uma especial atenção a um pescador que iria realizar a prova de 44 km o “Nikinha”.

Notei a preocupação do David pelo fato do nosso pescador ter feito este percurso várias vezes, porém caminhando. Voltamos com ele para a cidade, durante o caminho procurei realizar um questionário médico, contudo éramos entrecortados pelos “trancos e barrancos” do jipe na trilha.

Demos uma camiseta e boné Corpore para que ficasse de fácil identificação durante a prova, orientei-o para que não titubiasse em procurar ajuda nos postos médicos do percurso.

No dia seguinte, nosso pescador saiu-se muito bem no trajeto da ida, porém faltando 18 km, cãimbras e hipoglicemia fizeram com que ele parasse no posto Jipe-Lookout; uma das motos da equipe do Ivan procurou-me na UTI 4-Land, e lá fui na garopa da moto, 3 km trilha abaixo (angustiante).

Encontrei nosso pescador Nikinha parado, questionei quanto ao estado de saúde, no que ele respondeu:

-Quando a cãimbra pega, não dá mais!

Após checar o estado geral, ensinei-o a alongar o músculo vasto medial e propús que continuásse a prova caminhando, porém não me parecia muito disposto, o que é comum acontecer nos corredores entre o km 25 e 30.

Lembrei então, que ele havia assumido o compromisso, com as crianças da Comunidade de Castelhanos, de findar a prova.

Pensou e começou a caminhar.

Entre paradas para alongamento, maltodextrina, histórias minhas de cãimbras em corridas de 90 km na África do Sul e histórias dele de pescarias de tainhas e lulas, fomos alternando a biomecânica das passadas nas subidas e descidas, e trabalhando o compasso da ventilação.

Faltando 2 km, ele disse que a cãimbra voltara a aparecer, então respondi:
- E você não acha que eu estou aqui com as minhas? Semana que vem a dor já passou, porém o orgulho do desafio conquistado será para sempre na sua comunidade...

Com 500 metros para a linha de chegada David e Armando estavam esperando para acompanhar-nos, então disse:

- Estou vendo o presidente e o diretor da Corpore esperando para trotar conosco, esquece as cãimbras, agora é hora de cruzar a linha de chegada correndo!

Então entre sons do “Hino da Vitória do Airton Senna” e “Rocky – o Lutador”, nosso pescador Nikinha foi abrindo as passadas e cruzou a linha final do “Desafio Castelhanos -44 KM”

Fica aqui meu agradecimento ao Marcos e Angélica pelo apoio dado à equipe Médica em Castelhanos e pricipalmente ao pescador Niquinha por ter acreditado que a Equipe Médica daria todo o suporte para poder findar este DESAFIO CASTELHANOS

Dr. Milton Mizumoto
Diretor Médico da Corpore




 
Últimas notícias
Centro Histórico 2019
Meia Maratona 2019
Análise genética potencializa resultados de dietas e ati ...
Livro do Murakami
Treinamento Mental
Certificado AIMS Meia Maratona
Pesquisa dor nos ombros
Sedentarismo no Brasil
Global Running Day
Meia Maratona 2018
Centro Histórico 2018
 
Por: Corpore

2002-2019 Corpore. Todos os direitos reservados. Política de privacidade
Orgulhosamente desenvolvido pela FTECH