Siga a Corpore
A Corpore LinksContato
 

Minha história - Juliana Véras

01/03/2010, por Corpore
Voltar para Menu das Histórias de Corredor

OS TEXTOS SERÃO REVISADOS E EDITADOS SEGUNDO CRITÉRIOS DE REDAÇÃO CORPORE.ORG.BR
Exclusivo para Associados Corpore

Juliana Pereira Véras

Meu nome é Juliana Véras, tenho 27 anos e sou alucinada por corrida de rua.

Minha primeira corrida de rua foi em outubro de 2004. Na época eu nem sabia o que era treinar, assessoria esportiva e desconhecia a existência de tantas provas de corrida. Eu fiquei super feliz quando vi a linha de chegada e olhei no relógio o tempo de 52min35seg e o melhor: terminei! Depois dessa prova eu resolvi encarar a tão temida subida da Brigadeiro Luiz Antônio e fui para a São Silvestre. Nessa prova não teve como, tive que andar um pouco para terminar os 15km.

Em 2005 eu inventei de fazer uma meia maratona treinando apenas 8km na esteira 3 vezes por semana, conclusão me lesionei e tive que me ausentar das corridas, voltando apenas no final do ano.

No ano seguinte participando de uma corrida, conheci um treinador e fui convidada a participar da equipe de corrida dele. Ele disse que eu tinha potencial e só precisava de um bom acompanhamento. Conclusão: poucos meses depois eu já estava fazendo 10km para baixo de 50min e com muito treino terminei o ano de 2006 com a marca 41min 57seg os 10km. Nem preciso falar que a partir daí eu me empolguei muito e me viciei de tal forma que queria competir todas as semanas. Só em 2006 eu participei de 32 provas e dessas 12 eu estive no pódio.

Em 2007 foi um ano mais tranqüilo, pois eu terminei a faculdade, que me consumia muito. Muitas vezes eu tinha que treinar depois do trabalho e ia para faculdade com roupa de treino e suada, todo mundo me achava maluca e outras vezes eu tinha que treinar depois da faculdade, por volta das 23h rodando pelas ruas da Aclimação.

Tanta dedicação valeu a pena, pois a empresa que trabalho, F9C Security, reconheceu meu esforço e passou a me ajudar pagando as inscrições das corridas, transporte e estadia, quando necessário, além de fazer um uniforme para eu participar das corridas e sempre me incentivar, divulgando minhas conquistas e reservando um local para eu deixar meus troféus em exposição. Esse ano não foi diferente, participei de 42 provas e conquistei 29 pódios.

O ano de 2008 foi um ano muito marcante para mim, pois eu entrei numa outra assessoria esportiva e lá conheci uma pessoa muito especial, Jurandir, hoje meu atual namorado e parceiro das corridas de rua. O Jurandir participava das mesmas modalidades que eu, provas de 5km e 10km e, por isso, começamos a participar sempre das mesmas provas e quando tinha revezamento em duplas mistas sempre estávamos juntos.

2009 foi um ano mais complicado, pois devido ao trabalho eu e o Jurandir tivemos que sair da assessoria esportiva e passar a andar com nossas próprias pernas, ou seja, sem acompanhamento de um profissional da área, mas mesmo assim fomos nos arranjando. A minha empresa continuou me ajudando e passou a auxiliar no pagamento das inscrições do meu namorado, eu busquei novos apoios e consegui acompanhamento nutricional com a Dra. Janete Neves – Clínica Esportiva, academia de ginástica SP FIT, localizada ao lado do trabalho e comecei a fazer um trabalho de fortalecimento no horário do meu almoço. Mesmo sem acompanhamento de um treinador, conseguimos manter nossos ritmos e continuamos no gás alucinante de competição atrás de competição. Esse ano nós unimos o agradável ao mais agradável ainda, corrida com viagens e conhecemos lugares novos. Começamos a participar de corridas fora do estado de São Paulo. Participamos de algumas provas no litoral de São Paulo, Curitiba, Salvador, Belo Horizonte e Brasília.

Infelizmente no mês de novembro tive que me afastar das corridas: lesão no joelho. Eu percebi que em agosto apareceu uma bolinha do lado do meu joelho esquerdo, mas como ela não estava doendo eu não quis dar atenção com medo de ter que me ausentar das corridas. Continuei correndo sem dar atenção a isso e quando resolvi ir ao médico foi constatado que eu estava em overtrainning e também com um cisto enorme no joelho esquerdo do tamanho de um limão grande. Conclusão: chorei muito, mas muito mesmo e o meu médico pediu para eu ter calma que tudo iria dar certo e no ano que vem eu já estaria de volta as pistas.

Agora eu já fiz minha cirurgia, já fiz a fisioterapia e fui liberada pelo médico e posso dizer que estou muito feliz em poder trotar ao lado de amigos, do meu namorado e da minha mãe, que também me acompanha nos treinos e sempre me incentiva.

Agora eu quero aproveitar para fazer alguns agradecimentos:

- obrigada F9C por sempre me apoiar e acreditar no meu potencial.

- obrigada Dra. Janete Neves por sempre ter paciência comigo e com o Jurandir e fazer um acompanhamento sempre tão bom conosco.

- obrigado Marcelo (SP Fit) por disponibilizar a academia e um treinador (Fernando) para me acompanhar todas 2ª, 4ª e 6ª no horário do almoço

- obrigada Jurandir por ser sempre tão paciente, atencioso, amigo e companheiro em tudo comigo

- obrigada mãe por ser a melhor mãe do mundo, detalhe: minha mãe corre também!!!!

- obrigada equipe PRO RUNNER em especial ao Danilo.

Associado Corpore: Gostou da história que acabou de ler? Pois então colabore com esta coluna. Divida suas histórias com outros corredores. Para isso, nos envie seu texto* e imagens** para [email protected] e aguarde a publicação aqui no site! Participe!!

 



 
Últimas notícias
Análise genética potencializa resultados de dietas e ati ...
Livro do Murakami
Treinamento Mental
Certificado AIMS Meia Maratona
Pesquisa dor nos ombros
Sedentarismo no Brasil
Global Running Day
Meia Maratona 2018
Centro Histórico 2018
Calendario de Eventos AIMS
Calendário AIMS
 
Por: Corpore

2002-2019 Corpore. Todos os direitos reservados. Política de privacidade
Orgulhosamente desenvolvido pela FTECH