Siga a Corpore
A Corpore LinksContato
 

Minha História - David Volik

17/12/2003, por Flávia de Almeida Prado

Voltar para Menu das Histórias de Corredor
*Texto de no máximo 4 mil caracteres [ou duas (02) páginas]
**máximo cinco (05) Imagens em JPEG - resolução 150 DPIS
OS TEXTOS SERÃO REVISADOS E EDITADOS SEGUNDO CRITÉRIOS DE REDAÇÃO CORPORE.ORG.BR
Exclusivo para Associados Corpore

David Volik - Corredor Associado Corpore em Minha História


Completarei 48 anos em fevereiro de 2004. Há dois anos o médico me falou que se eu não praticasse algum esporte eu poderia ter um enfarte, pois eu estava estressado, tinha colesterol alto e pressão alta. Além de ser claro de muito sedentário.

Há muitos anos sem praticar esporte não sabia o que fazer. Entrei para uma academia há e comecei na musculação e na corrida. Tive a sorte de contar com uma personal da academia, pos ela tinha uma turma que caminhava e fazia corridas leves, uma vez por semana.

Foi interessante e incrível meu envolvimento, pois eu nunca me imaginei correndo. Até então mal conseguia correr cinco minutos nas tais aulas. Mas aos poucos, e com muita determinação, já que era "ordem médica", fui pegando gosto pela coisa e me destacando do grupo de alunos. Enquanto muitos só ficavam na caminhada, meu corpo reagia aos treinos e "pedia" uma corrida.

Fui me identificando cada vez mais com este esporte e me adaptando e evoluindo. De uma atividade estranha e esquisita, me tornei realmente um aficionado pelas corridas semanais.

Atingi meu auge na minha primeira participação em uma corrida no dia 25 de janeiro de 2003, quando realizei uma façanha pessoal. Completei os 10 km da corrida do aniversário de São Paulo e recebi a medalha de participação, que guardo com muito orgulho na parede do meu escritório. Sempre que olho para ela me estímulo a continuar correndo.

Com 4.600 participantes classifiquei-me em 4.300º lugar com o tempo de 01:08h. Mas repito: para mim, hoje aos quase 48 anos, foi uma vitória e uma grande conquista em minha vida, com mais saúde e prazer.

Depois disto, toda minha família entrou para uma academia, seguindo meu exemplo. Minha esposa e meus três filhos – um de 16, outro de 20 e o mais velho de 23 - também agora estão praticando atividades físicas. Na minha empresa todos reparam que estou mais calmo, o que julgo ser fruto das corridas. Não preciso mais de calmante para controlar ansiedade e nervosismo. Tenho minhas corridas.

Fica aqui minha História. Obrigado à Corpore e a todos os amigos corredores. Boas corridas a todos.

Associado Corpore: Gostou da história que acabou de ler? Pois então colabore com esta coluna. Divida suas histórias com outros corredores. Para isso, nos envie seu texto* e imagens** para [email protected] e aguarde a publicação aqui no site! Participe





 
Últimas notícias
Centro Histórico 2019
Meia Maratona 2019
Análise genética potencializa resultados de dietas e ati ...
Livro do Murakami
Treinamento Mental
Certificado AIMS Meia Maratona
Pesquisa dor nos ombros
Sedentarismo no Brasil
Global Running Day
Meia Maratona 2018
Centro Histórico 2018
 
Por: Flávia de Almeida Prado

2002-2019 Corpore. Todos os direitos reservados. Política de privacidade
Orgulhosamente desenvolvido pela FTECH