Siga a Corpore
A Corpore LinksContato
 

Minha História - Mario Scaff

12/07/2004, por Marcel Trinta

Voltar para Menu das Histórias de Corredor
*Texto de no máximo 4 mil caracteres [ou duas (02) páginas]
**máximo cinco (05) Imagens em JPEG - resolução 150 DPIS
OS TEXTOS SERÃO REVISADOS E EDITADOS SEGUNDO CRITÉRIOS DE REDAÇÃO CORPORE.ORG.BR
Exclusivo para Associados Corpore

Mario Scaff - corredor associado Corpore em Minha História

Existe uma frase que diz que a vida começa aos 60 anos. Creio que a mesma foi criada para estimular aqueles que chegam nessa idade a continuar cultivando ideais e estabelecendo metas como forma de não entrarem em depressão ou outros sintomas maléficos e destrutivos.

No meu caso, posso afirmar sem sombra de dúvidas que a vida começou aos 50 anos, ou melhor, uma nova vida mais alegre e saudável, pois foi quando resolvi, de uma vez por todas, proceder a mudanças radicais na minha maneira de viver (após ter sentido na pele os efeitos de uma vida sedentária e com excesso de peso).

Assim iniciei com mudança de hábitos alimentares, conseguindo eliminar mais de 60 quilos em 2 anos e meio e posteriormente ingressando numa academia para pratica de exercícios físicos - musculação e natação.

Após um certo tempo da pratica dessas novas atividades, fui sendo incentivado a utilizar a esteira não só para caminhadas, mas também para praticar um trote leve, iniciando com 1 minuto de trote e descansando 2minutos. Isso foi há exatamente um ano atrás (maio de 2003).

Gradativamente, com a supervisão constante e o grande incentivo do Professor de Educação Física Rodrigo Contó Ferreira, o qual acabou se tornando um grande amigo, fui estimulado a participar de uma competição de corrida. Para mim isso era utopia, pois até bem pouco tempo atrás levava uma vida totalmente sedentária não praticando nenhum tipo de atividade física, portanto impossível participar de uma corrida.

Mas aquilo ficou martelando na minha cabeça e resolvi aceitar a sugestão e fiz a inscrição para participar da Corrida de Natal da Corpore do ano passado. Foi muito emocionante ver o entusiasmo, a energia e principalmente o clima saudável criado por aquele ambiente festivo e amigável da prova. Dessa maneira, puxado pelo meu amigo professor, consegui completar os 6 km no tempo de 40min e 54seg. O esgotamento físico que senti ao final da prova se misturou com a emoção de ter conseguido completá-la e a alegria desse momento ficou para sempre registrada em minha mente. Jamais poderia supor que após ter vivido todo esse tempo me julgando inapto ou sem jeito para atividades físicas, iria aos 53 anos ganhar minha primeira medalha por ter completado uma prova dessa natureza.

A partir de então tenho me dedicado cada vez mais aos treinos, já participei de outras quatro provas (sempre ao lado do meu personal friend cujo estimulo é imprescindível) bem como já estou inscrito para outras tantas, sendo que ultimamente os finais de semana sem competição já estão se tornando raros.

Hoje eu costumo dizer às pessoas que adquiri um vício bom, sem o qual a vida para mim fica sem sentido, portanto me sinto totalmente dependente do mesmo. O vício pela atividade física regular, a qual felizmente consegui incorporar à minha rotina diária, e que me transformou em uma nova pessoa valorizando muito mais todos os momentos vividos.

Associado Corpore: Gostou da história que acabou de ler? Pois então colabore com esta coluna. Divida suas histórias com outros corredores. Para isso, nos envie seu texto* e imagens** para [email protected] e aguarde a publicação aqui no site! Participe




 
Últimas notícias
Centro Histórico 2019
Meia Maratona 2019
Análise genética potencializa resultados de dietas e ati ...
Livro do Murakami
Treinamento Mental
Certificado AIMS Meia Maratona
Pesquisa dor nos ombros
Sedentarismo no Brasil
Global Running Day
Meia Maratona 2018
Centro Histórico 2018
 
Por: Marcel Trinta

2002-2019 Corpore. Todos os direitos reservados. Política de privacidade
Orgulhosamente desenvolvido pela FTECH