Siga a Corpore
A Corpore LinksContato
 

Corpore comemora seus 21 anos - Leia o Histórico

3/4/2003, por Flávia de Almeida Prado

Quando tudo começou - 1ª fase da Corpore

No começo dos anos 80 o número de praticantes de corrida que freqüentavam o parque do Ibirapuera, na capital paulista, tornou-se bastante expressivo. Entre os diversos empresários que corriam no parque, nasceu a idéia de criar um clube de corredores, que teria como finalidade fornecer apoio a atletas de elite que não possuíam condições de custearem seus treinos e promoverem corridas de qualidade.

Até então, as poucas corridas que aconteciam na cidade não apresentavam um bom padrão de qualidade. Como eram geralmente mal organizadas, as largadas raramente aconteciam no horário previsto, o trânsito não era controlado, não havia distribuição de água durante o percurso ou na chegada. Além disso, não havia atendimento médico, o percurso não era medido com precisão, nem havia banheiros disponíveis aos corredores.

Foi então que em 3 de abril de 1982 foi fundada a Corpore – Corredores Paulistas Reunidos. Sua primeira diretoria foi formada pelo presidente Fernando Nabuco, o cargo de Diretor de patrimônio foi ocupado por Victor Malzone Jr., José Antônio Meirelles era o vice-presidente. Flavio Aronis, foi o secretário geral, Octavio Aronis foi o primeiro secretário, Wilson Fujimura, o tesoureiro, e Manuel Garcia e Justin Roscoe os diretores técnicos.

A primeira prova realizada pela Corpore foi em 15 de maio de 1982, na Cidade Universitária - USP, quando 686 corredores completaram o percurso. Nesta época, de 1982 a 1987, a entidade organizou algumas corridas, não apenas na capital paulista, mas também no interior do Estado.


Agberto Guimarães

Joaquim Cruz

Zequinha Barbosa

Na época, os atletas olímpicos não podiam receber patrocínio de empresas, mas para um atleta ser competitivo ele deve concentrar-se no treino, e sem patrocínio isto fica inviável. Atletas como Joaquim Cruz, Agberto Guimarães e Zequinha Barbosa, foram apoiados pela entidade nessa fase de sua existência. Entretanto, em 1987, as regras sobre patrocínio mudaram, e os atletas passaram a receber patrocínio de empresas – algumas inclusive de empresários ligados à Corpore. Por este motivo, a entidade perdeu parte de sua razão de existência, e parou de realizar as corridas de rua, até 1991.

De 82 a 87 o trabalho da Corpore foi crescendo e passou a ser reconhecido como referência de qualidade.

Em 92, a nova Corpore

Maratona de Nova York

Inspirados pela Maratona de Nova York, alguns empresários se juntaram novamente, para reestruturar a Corpore e fazê-la novamente trabalhar em prol do corredor. O técnico Wanderlei de Oliveira (que até 2002 esteve à frente do Pão de Açúcar Club) liderou este movimento. O trabalho realizado pelo New York Road Runners Club, tornou-se, desde então, uma referência obrigatória para a equipe Corpore.

Como a parte burocrática da Corpore, ou seja, sua parte legal e fiscal, estava em dia, para reiniciar os trabalhos bastava recomeçar. Em 92, então, a Diretoria da entidade foi novamente formada:

 

 

Presidente: José Wilson de Andrade
Vice-presidente: Octavio Aronis
Secretário: Jascques Lerner
Tesoureiro: David Cytrynowicz
Diretor de patrimônio: Victor Malzone Jr.
Diretor Técnico: Agberto Guimarães
Primeiro Secretário: Wanderley de Oliveira
Relações Públicas: Roberto Ferreira
Diretor de Promoções e Eventos: Manuel Arroyo

A Corpore ressurgiu para promover corridas de excelente qualidade para todos os participantes. Nesta fase, o fator primordial, para a viabilização de corridas com uma excelente estrutura técnica e de conforto/ respeito aos participantes, era a conquista de patrocinadores.

Encatinhando pelas ruas

No início, em 1993, o circuito de corrida no Ibirapuera, foi o projeto aplicado pela Corpore. Sempre na distancia de 6k, e com solidez nas realizações, a Corpore pode buscar e conseguir parceiros. Mas, por questões da administração municipal, a Corpore passou a realizar eventos fora do Ibirapuera. Assim, a entidade organizou provas maiores e mais longas, e claro, mais competitivas. As corridas dos Bombeiros e do Centro Histórico foram as primeiras dessa fase.

>>> 7 Corrida Bombeiros Corpore - 2002

 

Em 1999, diretores da Corpore foram a Nova York conhecer de perto o NYRRC. Lá observaram os detalhes sobre a administração e organização do clube americano, assim como sua parte jurídica e contábil. Eram lições que trariam à São Paulo, e implantariam no maior clube de corredores da América Latina.

A atual diretoria da Corpore:
Presidente: David Cytrynowicz
Vice-presidente: Octavio Aronis
Secretário geral: Edgard dos Santos
Primeiro Secretário: Jose Reynaldo Figueiredo
Tesoureiro: Yves Mifano
Diretor Técnico: Mario Rollo
Presidente do Conselho Deliberativo: Amadeu Armentano.


A importância da Corpore para a comunidade de corredores

A partir de 1997, a Corpore concentrou-se numa campanha de conquista de associados, visando fortalecer-se perante a sociedade, para que suas ações pudessem ser exercidas de maneira mais efetiva. Com o passar do tempo, os corredores compreenderam a iniciativa da entidade, e cada vez mais atletas tornaram-se sócios.

Os benefícios dos associados da Corpore vão desde descontos nas inscrições de suas provas, e em empresas conveniadas, à treinos técnicos e assistidos gratuitos.

A Corpore, entidade sem fins lucrativos, atua como núcleo de representatividade e porta voz do corredor na comunidade. Além de organizar eventos extremamente bem estruturados e proporcionar conforto e segurança aos seus participantes, a instituição é hoje o maior clube de corredores da América Latina e centro de referência para os esportistas.

Suas ações como: caminhadas, corridas e eventos competitivos e participativos, visam estimular saúde, bem-estar, educação, cidadania e inclusão social. Suas provas seguem padrões acima das exigências dos órgãos internacionais.

Hoje a Corpore conta com mais de 5 mil e quinhentos associados efetivos, e seu website possui mais de 45 mil corredores cadastrados.

No ano de 2001, a Corpore realizou a primeira edição de sua prova de aventura: a Ilhabela Corpore Terra e Mar. Realizada no litoral norte de São Paulo, em Ilhabela, São Sebastião, a belíssima prova de revezamento – que inclui um trecho de natação -; atraiu centenas de equipes e expandiu as ações da entidade, também de maneira sólida, para fora da capital paulistana.

Em maio, a prova Ilhabela Corpore Terra e Mar terá sua terceira edição, e além dela, uma nova prova de aventura foi adicionada ao calendário da entidade, na cidade de Campos do Jordão que irá sediar um grande evento Corpore, em setembro deste ano.

O alcance da maturidade


Do fim de 2002, ao início de 2003, A corpore entrou em uma nova fase, buscando se profissionalizar. Seu crescimento tornou a administração de toda sua estrutura um tanto complexa , para ser realizada pela diretoria voluntária.


Maratona de Nova York

Assim, Armando Santos, atual Diretor executivo da entidade, passou a trabalhar exclusivamente para a Corpore, podendo acompanhar diariamente a organização dos eventos, e direcionar a equipe de funcionários.

Algumas pessoas que hoje trabalham na Corpore estão no time há mais de seis anos. Outras foram incorporadas recentemente. De qualquer maneira, todo o grupo está conectado. O trabalho em equipe faz com que a organização e a realização dos eventos torne possível a participação de até 8 mil pessoas.

Declaração do Presidente David Cytrynowicz

Dia 3 de abril, a Corpore completou 21 anos. Apesar de não ser esta mais a maioridade plena pelo novo Código Civil, no meu imaginário ainda o é, e muitos de gerações anteriores talvez compartilhem o mesmo sentimento. Portanto, posso dizer que a Corpore atingiu a sua plena maioridade.

Quem de nós não sonhou com os seus benefícios? A carteira de motorista foi, e continua sendo objeto de desejo dos que estão prestes a completar 18 anos. Quem não viveu a agonia do tempo que não passa nas semanas anteriores ao 18º aniversário?

Pois bem a Corpore aos 18 anos conseguiu a Habilitação Categoria B, a mais comum, que permite a condução de veículos cuja lotação não exceda oito lugares e peso bruto não superior a 3,5 toneladas. Neste mês de abril, ao completarmos 21 anos, quis o destino que realizássemos a nossa 1ª Maratona, num evento em que esperamos superar 7000 participantes.

Nossa Habilitação B não seria mais apropriada. Nos preparamos nesses anos, e hoje consta em nossa Habilitação, Categoria E. Nos habilitamos para conduzir com segurança ônibus, caminhões simples ou com reboques, enfim tudo que a magnitude do movimento de corrida hoje necessita, e que foi criado ao longo destes anos.

Utilizaremos todos esses recursos para a festa que estamos preparando para o dia 27 próximo.

Não percam, venham festejar conosco.





 
Últimas notícias
Livro Missão Corpore
Centro Histórico 2019
Meia Maratona 2019
Análise genética potencializa resultados de dietas e ati ...
Livro do Murakami
Treinamento Mental
Certificado AIMS Meia Maratona
Pesquisa dor nos ombros
Sedentarismo no Brasil
Global Running Day
Meia Maratona 2018
 
Por: Flávia de Almeida Prado

2002-2021 Corpore. Todos os direitos reservados. Política de privacidade
Orgulhosamente desenvolvido pela FTECH